domingo, 30 de agosto de 2009

Refletir, não custa nada!

Postado na Igreja por Samuel Laurence Guzmán em 25 de agosto de 2008.

Eu estou zangado.

Mais do que isso, estou profundamente entristecido.

Por quê?

Estou cansado do pecado que está tomando lugar em nome de Deus, no mundo virtual da "blogosfera".

Toda essa coisa me lembra uma briga de jardim de infância.

Em nome do combate pela verdade, os cristãos estão literalmente mordendo e devorando uns aos outros de modo excessivamente pecaminoso.

Blogs são criados para apontar erros, levando outros a criarem mais blogs para apontar os erros dos primeiros blogs.

Lutar pela verdade se transformou em algo que está mais perto de uma luta livre.

Cristãos estão literalmente gastando horas e horas por dia na frente da tela de seus computadores trocando disparos e socos.

Em tudo isto, Deus tem sido esquecido, e a maravilhosa, vivificadora e felicitadora mensagem do Evangelho, o que realmente vale a pena defender, foi perdido na guerra.

Irmãos e irmãs, creio firmemente que Deus não está satisfeito com a grande maioria do que é publicado em blogs em nome dEle.

Por quê?

Porque não há humildade na escrita, e muito pouco sentido de nossa própria fragilidade e susceptibilidade ao pecado (Isaías 66: 1-2).

Não há qualquer sentimento de tristeza pelo pecado, antes, há uma facilidade pecaminosa, quase uma alegria, em apontar o erro dos outros.

Todo mundo quer ser um profeta, eles simplesmente não querem conhecer a Deus.

Todo mundo quer ser um Paul Washer, eles simplesmente não querem gastar horas e horas estudando a Palavra de Deus, buscando a face de Deus em oração, e crescer, em conformidade a Ele como Paul Washer o faz.

Com certeza é divertido encher o ar com palavras afiadas contra o pecado, mas ninguém quer enfrentar o pecado em seu próprio coração.

Todo mundo quer ser um profeta, eles simplesmente não querem perder tempo em conhecer a Deus.

Afinal de contas, condenar o pecado e defender a verdade é muito mais divertido.

Qual é o resultado disto?

Temos um monte de profetas de hobby.

Os profetas do Antigo Testamento eram homens de Deus que podiam ouvir a voz dEle.

Eles muitas vezes choravam pelo peso da sua missão, mas foi dada por Deus, e eles não poderiam fazer nada além de falar (Jeremias 23: 9-10).

Sim, a carga de falar contra o pecado é pesada.

É pesada para você?

Ou é divertido?

Os antigos profetas estavam tristes com o pecado de seus ouvintes e da dureza de seus corações e literalmente choraram diante de suas cegueiras e do julgamento que estava por vir.

Quando foi a última vez que você chorou a respeito da rebelião e do pecado de alguém que você estava escrevendo?

Ouso dizer, para muitos de nós, nunca.

O mais doloroso de todos, Deus tem sido abandonado em favor da defesa da Palavra dEle.

Em nosso zelo para defender a verdade, temos esquecido Aquele que deveríamos estar amando acima de tudo.

Nós O honramos com nossa escrita, mas eu receio que muitas vezes os nossos corações estejam longe dEle.

Como eu sei disto?

Embora eu não possa ver corações, posso ver os frutos (a boca fala do que o coração está cheio), e não se parecem com santidade.

Deus não precisa de nossos blogs.

Quão estúpido somos se estamos pensando que nossos blogs são essenciais para a vida da Igreja e do eterno propósito de Deus.

Deus definitivamente não precisa de nós, mas Ele deseja nosso amor e nossa devoção. Você O ama? Você quer conhecê-lO?

Pensar em Deus traz alegria e felicidade para você?

Ou você tem mais satisfação manejando a espada plástica do seu teclado?

Se você está lendo este artigo e pensando em alguém que precisa de arrependimento, você está tanto perdendo e confirmando meu ponto.

O meu ponto é: olhe para o seu próprio coração.

Examine-se.

Se você é um blogueiro que verdadeiramente ama o Senhor e deseja agradá-lo, eu enfaticamente sugiro que você dê um passo para trás e examine o seu coração.

Desligue o computador e se coloque em seus joelhos.

Gaste o tempo que você iria dedicar blogando para seguir firme a Deus.

Em seguida, saia e ministre a pessoas verdadeiras, de carne e sangue.

Seja Cristo para ser alguém que está sofrendo ou na necessidade.

Receio que, se algo não mudar, vamos simplesmente descer ainda mais em disputas e difamações, o que acabará levando a completa inutilidade e irrelevância para o reino de Deus.

Termino com as palavras do Senhor em Apocalipse 2:

.
Estas são as palavras daquele que tem as sete estrelas em sua mão direita e anda entre os sete candelabros de ouro. .

Conheço as suas obras, o seu trabalho árduo e a sua perseverança.

Sei que você não pode tolerar homens maus, que pôs à prova os que dizem ser apóstolos mas não são, e descobriu que eles eram impostores.

Você tem perseverado e suportado sofrimentos por causa do meu nome, e não tem desfalecido.
.
Contra você, porém, tenho isto: você abandonou o seu primeiro amor.

Lembre-se de onde caiu!

Arrependa-se e pratique as obras que praticava no princípio.

Se não se arrepender, virei a você e tirarei o seu candelabro do lugar dele.

Mas há uma coisa a seu favor: você odeia as práticas dos nicolaítas , como eu também as odeio.
.
Aquele que tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas.

Ao vencedor darei o direito de comer da árvore da vida, que está no paraíso de Deus.

quarta-feira, 26 de agosto de 2009

O SAL - III

O sal preserva.

Desde tempos imemoriais, o sal tem sido utilizado pelos povos como substância conservante, que preserva as características dos alimentos.

O cristão, como o sal espiritual, tem a capacidade de preservar o ambiente sob sua influência.

Este mundo ainda existe porque, apesar de sua degeneração, a Igreja, formada pelos crentes, está preservando o que resta de saúde moral e espiritual no mundo.

Quando a Igreja for tirada da terra, a podridão tomará conta dos povos sem Deus, levando-os à decomposição ( Ato ou efeito de decompor-se; redução a elementos simples; alteração profunda; análise; desorganização.) final, que os levará ao Inferno.

O crente tem o dever de “salgar” para preservar sua família, seus amigos, crentes ou não e todos os que estejam de uma forma ou de outra sob sua influência.

Através das missões, da evangelização local e regional, a Igreja espalha o sal sobre o mundo, para que ele não apodreça de vez.


O sal dá sabor.

Uma comida sem sal nunca é vista como saborosa.

Normalmente, é indicada para pessoas que estão com problemas de saúde, para quem é contra-indicado o uso do sal.

A Bíblia registra a importância do sal, como elemento que dá sabor: “Ou comer-se-á sem sal o que é insípido? Ou haverá gosto na clara do ovo?” (Jó 6.6).

Da mesma forma, o crente em Jesus tem a propriedade de dar sabor espiritual ao ambiente em que vive à vida dos que lhe cercam.

Há pessoas que se sentem felizes em conviver com crentes fiéis, sentindo o efeito benéfico do contato com eles.

E isso glorifica o nome do Senhor.

É necessário ter sal na vida, ou seja, um viver cheio de alegria, de poder, entusiasmo, cheio do Espírito Santo.

Jesus reconhecia o valor do sal, quando afirmou: “Bom é o sal, mas, se o sal se tornar insulso, com que o adubareis? Tende sal em vós mesmos e paz, uns com os outros” (Mc 9.50).

Em seu ensino, Ele disse que, “se o sal for insípido, com que se há de salgar? Para nada mais presta, senão para se lançar fora e ser pisado pelos homens” (v.13).

Isso quer dizer que, se o crente deixar de dar seu testemunho, sua vida perde o sentido, torna-se inútil, e passa a ser “pisado” pelos pecadores.

Sal na medida.

Uma das características do sal é sua “humildade”.

Ele preserva e dá sabor, sem aparecer.

Assim é o crente fiel.

Ele é humilde.

Não faz questão de aparecer.

Quando o sal “aparece”, pelo excesso, ninguém suporta.

O crente como sal prega mais com a vida do que com palavras.

João Batista foi um exemplo. Falando sobre Jesus, disse: “É necessário que ele cresça e que eu diminua” (Jo 3.30).

O crente, quando tem sal demais, torna-se insuportável.

Isso acontece, quando se torna fanático.

Em lugar de passar para os outros o sabor da vida cristã, acaba afugentando as pessoas, com excesso de santidade.

São pessoas legalistas, que vêm pecados em tudo.

Por outro lado, há os que não têm mais sal em suas vidas.

São os liberais, que se acomodam com o mundanismo, e dizem que nada é pecado.

São extremos.

É preciso ter equilíbrio no testemunho.

Paulo disse: “A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como vos convém responder a cada um” (Cl 4.6).

O fruto do Espírito inclui a temperança (Gl 5.22).

terça-feira, 25 de agosto de 2009

Pois é.......A que ponto chegamos!

GOVERNO BRASILEIRO FAZ ACORDO COM A IGREJA CATÓLICA EM DETRIMENTO DE TODOS OS OUTROS CREDOS RELIGIOSOS.

Informe publicitário assinado pelo Associação Vitória em Cristo / CIMEB - Conselho de Pastores do Brasil.

(
Veiculado nos principais e maiores jornais e revista do País em 25 de agosto de 2009).

O Governo brasileiro enviou à Câmara dos Deputados a mensagem 134/2009 que reconhece o estatuto jurídico da Igreja Católica. Após a mensagem ser apreciada em uma das comissões para a qual foi enviada, seja aprovada ou não, transforma-se em projeto de decreto legislativo, recebendo o nº 1736/2009. No plenário da Câmara, a pedido dos líderes partidários, foi aprovada a caráter de apreciação urgente, urgentíssimo.

Com muito respeito aos senhores deputados, será que não existe matérias mais relevantes a serem discutidas de maneira urgente em benefício de todo o povo brasileiro? Isto é um absurdo! Na verdade, este acordo beneficia a Igreja Católica na evangelização do povo brasileiro nos diversos segmentos da sociedade, incluindo hospitais, escola e forças armadas.

O mais grave é que este acordo contraria o inciso 1º, do artigo 19, da Constituição Brasileira, que diz: "É vedado à União, aos Estados, ao Distrito Federal e aos Municípios: I - Estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o funcionamento ou manter com eles ou seus representantes relação de dependência ou aliança, ressalvadas na forma da lei, a colaboração de interesse público".

A nossa nação não pode firmar aliança com qualquer credo religioso, ferindo o princípio da laicidade, inclusive com a quebra da isonomia nacional! Aproximadamente 70 milhões de brasileiros, que não são católicos, estão sendo discriminados. Temos a convicção de que a maioria do povo católico não concorda com um absurdo dessa grandeza, porque são pessoas democráticas.

Com a aprovação deste acordo ficará a Santa Sé, por meio da CNBB, com plenas condições de fechar acordos com o governo brasileiro, sem que jamais tenham de passar pelo Congresso Nacional. É um verdadeiro "CHEQUE EM BRANCO" para a Igreja Católica. Isto é uma vergonha!

Senhores deputados, não aprovem este acordo. Fiquem certos de que não mediremos esforços para informar a todos os credos religiosos quem são os deputados que votaram a favor deste acordo discriminatório.

Estendemos o eco da voz deste manifesto ao Senado da República, próxima casa legislativa que terá de apreciar o resultado apurado pela Câmara dos Deputados.

Tenham a absoluta certeza de não temos memória curta e que vamos pensar muito bem em quem vamos votar nas próximas eleições para Deputado Federal, Senador e Presidente da República.

EM FAVOR DO ESTADO LAICO, DIGA NÃO AO PDC 1736/2009.

segunda-feira, 24 de agosto de 2009

SAL II - A Continuação

Coisas que levam o sal a perder seu sabor e tornar-se insípido ou insulso (1):

1. Pouco Vento.

O sal para atingir o sabor ideal necessita de bastante ventania na época de sua formação.

Espiritualmente o crente sem o vento do Espírito da Vida e do poder, não subsiste (Gn 2.7; Ez 37.9,10, 14; Jo 3.8; 20.22; At 2.2; Et 4.16).

2. Pouca Luz.

Muita luz é fundamental para a formação de um bom sal.

O efeito químico da luz sobre a água em tratamento é fundamental na transformação desta em sal.

Abundante luz celestial é a grande necessidade para o crente ser um bom sal.

Sem isso ele pode ter uma pregação como é o caso do sal insípido.

Sem fé é impossível o pecador chegar ao Senhor, pois o mundo está em trevas.

3. Pouco Calor.

Sem calor o sal em sua formação perderá em qualidade e se arruinará.

Uma igreja espiritualmente fria torna-se inerte, inativa, decadente e incapaz de ser o “sal da terra”.

Em lugar de uma igreja influir nos padrões de vida e práticas do mundo sem Deus, o mundo é que influirá nela pela corrupção, tal qual faz o fermento na massa.

O sal que se tornar insípido perde três coisas principais:

· Perde o seu sabor. “Se o sal for insípido, com que se há de salgar?” (Mt 5.13).
· Perde o seu valor. “Para nada mais presta” (Mt 5.13).
· Perde o seu lugar. “Para se lançar fora” (Mt 5.13).

Na Química, o sal é chamado Cloreto de Sódio.

Esta substância tem propriedades importantes.

Por isso, Jesus a usou para tipificar o papel daqueles que são seus discípulos.



[1] Que não tem sal; insosso; que não tem sabor; insípido.

terça-feira, 18 de agosto de 2009

Sal?

“Vós Sois o Sal da Terra”

Nos tempos bíblicos o sal era de maior importância, mais valioso, menos abundante e de difícil aquisição.

Jesus não disse que apenas alguns crentes especiais são “Sal da Terra”.

Ele afirmou: “Vós sois”, referindo-se a todos os filhos de Deus.

O Sal é considerado como uma propriedade distinta e importante, ou seja, a de conservar ou de condimentar.

A idéia aqui não indica especialmente uma função definida, como a de conservar ou de condimentar, ou ainda, como dos muitos usos do sal, mas a idéia geral é que o crente santificado deve possuir a realidade daquilo que professa, da mesma forma que o sal apresenta a propriedade que esperamos dele.

Essa realidade é expressa de muitas formas.

Aqueles que conhecem a questão dizem-nos que o sal puro não perde seu caráter distinto, mas uma vez misturado com elementos impuros e estranhos pode perder sua propriedade.

O sal pode conservar sua aparência como sal, mas não o seu caráter.

Realmente, transforma noutra substância.

O sal insípido para nada mais presta a não ser lançado fora e ser pisado pelos homens.

“Os propósitos destas palavras, como precisam considerar, não é para esmagar os que caem, é para avivar o senso de dever e impelir os discípulos a andarem de acordo com a sua chamada”.

Se o Cristianismo não funcionar como deve, como é que o mundo poderia receber qualquer coisa da boa graça de Deus?

A religião sem autenticidade dificilmente tem uso digno para os discípulos de Jesus ou para o mundo em geral.

O sal que perde a sua virtude ou sabor, suas qualidades distintas, não tem mais razão para existir.

O cloreto de sódio puro (sal) não se deteriora, mas pode ser adulterado, e então perde suas propriedades e se torna inútil, pois então deixa realmente de ser sal (Mc 9.49-50; Lc 4.34,35; Ef 4.29; Cl 4.6).

sábado, 8 de agosto de 2009

Assembleia de Deus em Guarulhos - SP



Agradeço a forma simpática, carinhosa do Pr. Wellington Junior e esposa pela maneira que fomos recebidos na Assembleia de Deus em Guarulhos, pastoreada por este homem de Deus!

Pastor Wellington Jr; Presidente do Conselho Administrativo da CPAD - Casa Publicadora das Assembleias de Deus !
Ministramos a Palavra de Deus e vi uma AD - Vibrante, atenta á palavra e participativa e demonstrando apreço ao ensino biblico, pois, em plena dia de quarta-feira o templo estava lotado! - Gloria a Deus!!
A Deus seja a Glória, Honra e Poder!

sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Liderar, eis a questão!

SER LÍDER HOJE!

1. Aprecie a sua equipe ministerial

Não importa se você é líder de uma grande ou pequena equipe ministerial.

Quando um membro da sua equipe realiza um bom trabalho, não permita que isso passe despercebido.

Reconheça, aprecie, elogie.

Não consinta que essa preciosa oportunidade de apreciar — ainda que algo aparentemente insignificante — seja desperdiçada. (Provérbios 27.23)

2. Nunca, jamais, humilhe um membro da sua equipe de ministério.

Se você está aborrecido com alguém da sua equipe, pelo fato de essa pessoa haver

feito alguma coisa errada, mantenha-se frio, calmo, especialmente em público.

Se você optar por humilhá-la — seja de maneira privada, seja em público—, ela poderá nutrir um ressentimento contra você, e seu ministério fatalmente irá sofrer (Provérbios 18.21)

3. Crie uma cultura na qual errar não é proibido

Se você não comete erros, chances existem de que você não está crescendo em sua liderança.

Se a sua equipe tiver permissão de sentir que os erros são parte do processo de alcançar novas altitudes, em vez de apenas se sentir mal ou envergonhado, então eles irão se arriscar ainda mais em seu favor. (1 João 2.1)

4. Lembre-se de detalhes pessoais

Separe um tempo específico para conhecer a sua equipe: quem são eles, quão importante é a sua vida, etc.

Mantenha um foco de interesse neles como pessoas e não exclusivamente como instrumentos de trabalho. (Provérbios 16.22)

5. Não se esconda atrás da sua posição

Seja simplesmente humano e ofereça amizade genuína à sua equipe.

Dessa maneira, você poderá apoiar e encorajar uns aos outros quando os momentos difíceis chegarem. (Mateus 5.16)

6. Seja abordável

Permita que a sua equipe venha a sentir que ela pode se aproximar de você e lhe falar sobre matérias e questões sensíveis; questões que envolvam dificuldades não apenas ministeriais, mas também fora do ministério. (Tiago 3.13)

7. Admita seus erros

Se você errou, seja o primeiro a admitir. Lembre-se de que as pessoas fazem aquilo que vêem.

Você é um homem ou mulher de Deus, mas você não é infalível!

A sua equipe irá respeitá-lo, e mais ainda se você for capaz de admitir os próprios erros. (Provérbios 28.13)

8. Ouça de maneira que sua equipe possa falar com você

Freqüentemente, as pessoas são intimidadas e temerosas diante da posição exercida pelo líder.

Faça tudo que for possível para demonstrar que você está aberto a ouvir o que eles têm a dizer e que eles são importantes e valiosos. (Tiago 1.19)

9. Seja claro nos seus pedidos

É sua a responsabilidade assegurar-se de que as pessoas entendem o que você lhes está pedindo.

Portanto, comunique-se com clareza; fale, mas também escreva e pergunte se as pessoas realmente entenderam o que você lhes solicitou. (Provérbios 14.15)

10. Trate a todos com respeito e cortesia, em todo o tempo

Faça isso sempre, particularmente quando há problemas!

Toda pessoa que trabalha sob sua liderança é um ser humano valioso que merece ser respeitado.

Em última análise, um líder cristão é alguém que tem a grande responsabilidade de demonstrar o caráter de Deus mediante sua própria vida.

Exercitar respeito e cortesia à sua equipe é algo que poderá mover o céu na terra. (Provérbios 20.3)

sábado, 1 de agosto de 2009

Mensagens que Transformam!!



Meus caros irmãos!

Recebi um exemplar do livro Mensagens que Transformam, do meu amigo e irmão Pr.Marcello de Oliveira, prefaciado pelo renomado conferencista Hernandes Dias Lopes

No primeiro assunto abordado pincei o seguinte pensamento: "As pessoas encontram na igreja muito do homem, mas encontram pouco de Deus"; urge a necessidade de clamar-mos ao Deus Todo Poderoso para que esta verdade seja invertida e tenhamos mais de Deus e menos dos homens na igreja hodierna!

Questiona o nobre escritor: Por que Jesus foi à Cruz?

Informa-nos sobre o "Altar que está em Ruínas," sem deixar de comunicar que a "Jornada do cristão é Feliz", percorrendo a Sião e se apresentando como a "Oliveira Verdejande" libertando-se da indiferença, havendo "Poder por meio da Fraqueza", pois quando Cristo exclamou "Está Consumado - Tetelestai" fala da "Superioridade de Cristo" e encerra com o "Trono de Deus"!

Leitura agradavel e profunda sem deixar a simplicidade do ensino que alcança a coraçòes sedentos pelo saber!

Com certeza mais uma ferramenta para os que assumem o púlpito para ministrar a Palavra de Deus!

Recomendo a você adquirir esta obra!

Peça o seu exemplar diretamente com o autor: