segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Ver a Deus! - Eis a questão!



Jesus, no sermão do Monte, entre outras bem-aventuranças, declarou que são “bem-aventurados os limpos de coração, porque verão a Deus” (Mt. 5:8).

Deus se importa muito com um coração limpo.

Por essa razão, Jesus inclui os limpos de coração em suas bem-aventuranças.

O pastor precisa ter coração limpo se deseja servir a Deus com integridade e um testemunho pessoal aprovado.

Davi escreve “Quem subirá ao monte do Senhor? Quem há de permanecer no seu santo lugar? O que é limpo de mãos e puro de coração, que não entrega a sua alma à falsidade, nem jura dolosamente” (Salmo 24:3-4).

Por isso, o líder da igreja, deve conservar o “mistério da fé com a consciência limpa” (I Tm. 3:9).

Manter um bom testemunho por ter um coração limpo não necessariamente fará do pastor um sucesso entre os homens.

Pelo menos enquanto este pastor estiver vivo.

Depois de morto é outra história.

Não obstante, é o bom testemunho que fará desse líder um vitorioso diante do Seu Senhor, pois Deus sabe que o bom testemunho agrega as ovelhas, enobrece o reino de Deus, honra o nome do Senhor, não escandaliza os mais fracos na fé.

Portanto, cabe a cada líder pastoral avaliar diariamente como está o seu coração.

Esse exercício devocional é imprescindível para ser bem sucedido no ministério da Palavra, pois somente os limpos de coração verão a Deus e, assim, serão considerados bem-aventurados.

O Senhor sonda nosso coração, portanto é nossa imagem interna, e não externa, que precisa de maior cuidado.




Em dias de ufanismo e triunfalismo somos levados a procurar sempre o que nos destaca, ou destaca o nosso trabalho.

Um grave engano visto que o Senhor não sonda nossos relatórios mas sim nossos corações.

Dr Augustus Nicodemus, profundo expositor da Palavra, afirma que Deus não nos chama para termos sucesso sempre mas sim para sermos fiéis.

Compreender a marcante diferença entre caráter e reputação não pressupõe que faremos uma escolha legítima.

É preciso estar disposto a priorizar a verdade.

Abraham Lincoln gostava de afirmar que:

“Caráter é como uma árvore e reputação a sombra.

A sombra é o que nós pensamos sobre isto.

A árvore é a realidade” .

Muitas vezes confundimos inteligência, conhecimento e sabedoria.

Podemos aplicar as palavras “a inteligência é uma espada ... o caráter a empunhadeira”, de Bodenstedt, dizendo que é o caráter que delineará a sabedoria no agir.

Outras vezes confundimos temperamento brando com bom caráter.

Ao contrário, como disse Pierre Azaïz, “o caráter é a esperança do temperamento”.

Um temperamento brando, quieto ou mais vagaroso pode dar a impressão de domínio próprio e esconder as paixões mais carnais.

Ele nos “sonda e nos conhece” e julga-nos com exatidão, pesa a nossa alma e categoriza todos os nossos sentimentos mais profundos.

Você é quem Deus diz que você é.

Convictos desta verdade é preciso crescer.

Não priorize o crescimento da sua reputação, ministério ou carreira.

São por demais importantes, porém transitórios.

Priorize o crescimento do seu caráter e vida com o Pai.

Escolha a melhor parte.

Um comentário:

  1. Olá Pastor Daniel Sales... O senhor tem razão. Infelizmente existem muitos impostores ao invés de pastores. Em Jeremias 23 Deus nos fala com relação aos maus pastores. Quanto a eles, deixemos Deus trabalhar na vida deles. No salmo 51 e versículo 10, nos ensina... Cria em mim ó Deus, um coração puro e um espírito reto... e isso deve estar na vida não só dos pastores, e sim, de todo aquele que quer ser Salvo por Cristo. Pois realmente, só os que tem coração puro, verão a Deus (Mateus 5.8). Sabendo que na eternidade com Deus, iremos ver a Deus para sempre e para isso, então, só entra no céu quem tem um coração puro.

    Vamos nos unir para Ganhar Almas para Jesus Cristo.

    Deus sempre abençoe o senhor e o Espírito Santo continue usando tremendamente o senhor, em O Nome de Jesus Cristo.

    ResponderExcluir

VITÓRIA DE DAVI SOBRE A TRISTEZA

VITÓRIA DE DAVI SOBRE A TRISTEZA Texto: Salmos 34.19 INTRODUÇÃO:  Um homem que enfrentou muitas crises. I. UM JOVEM DE FÉ a. ...