sábado, 27 de julho de 2013

Estou profundamente aborrecido....


Diz aquele servo: Meu senhor tarde virá.....
 
 

Meus amados irmãos em Cristo Jesus de todas as partes deste rincão; sou pastor por bondade de Deus e venho servindo ao Senhor Jesus Cristo nas AD’s mais de 45 anos, estou estupefato com os desdobramentos em que a Igreja está se envolvendo de forma visível e parece-me sem poder de reação, uma verdadeira batalha de soldados sem ânimo, cordatos, distantes e sem cuidado pelo rebanho confiado ás suas lides ministeriais!
Mas!
Uma disposição de gigante para a difamação, puxar o tapete do companheiro, instruindo como arrebentar com '" os desafetos ministeriais"!

Obreiros sem compromisso com a Palavra de Deus, o que interessa é os polpudos salários, cachês exorbitantes, viagens internacionais ás custas do erário de igrejas, que muitas vezes necessitam urgentemente de reformas, melhoras no som, nas salas administrativas, cozinhas mal aparelhadas, instrumentos e outros sem nenhuma condição de uso, não se aplica nada no campo missionário, obreiros descontentes e sempre reclamando com o que recebem, casa, agua, internet, celular, energia elétrica, despesas pagas quando a serviço da Igreja participa de reuniões e assembleias convencionais, a lista é interminável!

Para não falar de que quando vai a estas reuniões, não participam e nem se inteiram do que está ocorrendo no âmbito de sua própria Igreja!

E tudo isto ás custas de contribuições de membros, que na maioria não são atendidos quando necessitam de apoio destes que vivem ás suas custas!

Visitas?

Hospitais?

Evangelismo?

Missões?

Solidariedade?

Viúvas e órfãos?

Assistência a pobre?
 
Mas e o carro do bacana?

O que estamos vendo é o que passo a expor:

Ilustração: Um grupo de demônios reunidos observava ao longe uma grande multidão de “crentes” se mordendo, falando mal, brigando, resmungando, quebrando a madeira, enfim: Irmãos contra os outros irmãos! – Foi aí que disse um destes demônios: QUANDO SERÁ QUE ELES VÃO SE UNIR PARA NOS COMBATER?

Contenda: debate, lutas, disputa, controvérsia, embate, discussão, etc.

Maldizente: difamador, boateiro, mexeriqueiro; que resmunga e murmura. 

A filosofia moderna aponta a tolerância, a simpatia e o acordo como base da união.

Paulo escrevendo aos coríntios orienta o proceder dos irmãos, com base aos princípios vividos pela igreja primitiva, (1 Cor. 1:10).

Sob o ponto de vista de Paulo, divisão, facção e contendas causam enormes prejuízos à obra de Deus, a Igreja.

Prov. 06: 16-19 diz: O texto diz que seis coisas, Deus aborrece (sentir horror).

A sétima a Sua alma abomina, “o que semeia contendas entre os irmãos”. 

Abominar = detestar.

O que semeia contenda entre irmãos aparece no texto bíblico como o pior de todos.

O que semeia contenda entre os irmãos e traz confusões para o meio da igreja, também é abominação ao Senhor.

Os semeadores de contenda desunem famílias, promovem intrigas, cria mal estar e desavenças entre irmãos e na igreja, é um verdadeiro agente de satanás no meio da cristandade.

Satanás quer fazer com que os irmãos se estranham uns aos outros, causando divisão.

Muitos são agentes de satanás infiltrados dentro da igreja e não sabem.

Semear contenda é a atitude de falar ou fazer coisas que colocarão os irmãos uns contra os outros.

Há pelo menos quatro tipos de causa:

CAUSA PESSOAL: Conflitos se dão por uma questão de gosto, opinião, opção ou estilo individual.

Esse tipo de conflito é natural, mas precisa ser bem conduzido e bem resolvido para não gerar problemas maiores.

CAUSA DOUTRINÁRIA: Dentro da igreja um grupo que defende uma interpretação bíblica sobre um assunto e outro grupo que entende diferente (I Tim 6:3-5 II Tim 2:14).

CAUSA CARNAL: Está diretamente ligada aos desejos físicos e egoístas.

Observe que o conflito de causa pessoal ou doutrinária pode ser também carnal, bastando que um dos envolvidos esteja dominado pela carnalidade (I Cor. 3:3 Tg 4:01).

CAUSA DIABÓLICA: Muitos conflitos são certamente idealizados por Satanás.

Ele é o maior semeador de contendas entre os irmãos, mas o que ele faz na maioria das vezes é "aproveitar a nossa lenha para fazer sua fogueira".

Então, os conflitos pessoais, que podem ter até uma causa natural, ou os conflitos carnais e doutrinários, podem acabar se tornando instrumento nas mãos do inimigo.

O seu maior desejo é ver o povo de Deus lutando consigo mesmo, quando deveríamos, juntos, lutar contra as forças das trevas.

Deus não tolera essa atitude, pois Ele próprio revelou em Sua Palavra sua intenção de fazer da Igreja um símbolo de harmonia e de paz, sendo ela a Sua família aqui na Terra.

A igreja sofre muito por causa dessas situações.

O ódio, a soberba, a ira suscita contendas e brigas e coloca um contra o outro (Prov. 10:12; 13:10).

Contendas são obras de maldizentes.

"Sem lenha, o fogo se apaga; e, não havendo maldizente, cessa a contenda" (Prov. 26:20,21).

A contenda necessita de instrumentos para se materializar.

Caso contrário se extingue: "Sem lenha, o fogo se apaga; e não havendo intrigante, cessa a contenda".

Uma vez que a contenda entra na igreja, o culto passa a ser inviabilizado. 

Os cristãos ficam tão preocupados com os seus direitos, dignidade, prestígio, práticas e procedimentos que fica impossível haver uma atmosfera que dê margem ao louvor e à adoração.

Com o ciúme e a inveja no coração, não podemos fazer julgamentos justos; o julgamento parcial só gera mais contenda.

Infelizmente, há pessoas que se ocupam falando mal dos outros e semeando contendas.

Deus detesta tal comportamento.

Contendas são fáceis de começar e difíceis de terminar. Como um pequeno buraco numa barragem facilmente sai do controle da pessoa que o fez, uma pequena contenda cresce de tal maneira que ninguém consegue freá-la, (Prov. 17:14).

Temos que tomar cuidado com as nossas amizades evite pessoas que estão prontas para levantar contendas.

As amizades têm grande influência em nosso proceder que podem inclusive nos fazer transigir com nossos princípios. (Prov. 22 : 24-25)

A causa número um das contendas é a imaturidade de muitos crentes.

Não são espirituais, são meninos em Cristo não cresceram (I Cor. 3:1 a 3).

São pessoas que precisam crescer espiritualmente, emocionalmente, mentalmente; precisam de maturidade cristã.

Uma pessoa madura controla sua língua (Tg 3:2; Prov. 21:23).

Uma pessoa madura é um pacificador não um criador de caso.

2 comentários:

  1. Caro amigo e pastor Daniel Acioli,

    A Paz do Senhor!

    Seu texto é uma constatação, um alerta e uma exortação, portanto, totalmente pertinente e necessário!

    Deus continue te abençoando e mantendo ativo nesse farol profético, em tempos tão trabalhosos.

    Um grande abraço,

    Seu conservo e admirador,
    Pr. Carlos Roberto

    ResponderExcluir
  2. Paz Pastor Daniel, belo artigo,que o Senhor continue lhe usando

    ResponderExcluir

AS MARCAS DO DISCIPULADO

AS MARCAS DO DISCIPULADO        Textos: Mateus 16.24 INTRODUÇÃO:  Paulo trazia no corpo as marcas de Cristo Jesus (Gl. 6.17).    ...