quinta-feira, 3 de janeiro de 2013

Carta Aberta ao Ministros das Assembleias de Deus no Brasil


Carta Aberta ao Ministério de nossa Igreja no Brasil

         (O Perigo da estagnação espiritual)

 “Aviva a tua obra, ó Senhor, no decurso dos anos...” Hc 3.2

“.... Em 1944, bem me lembro, de passagem para a Libéria, África, como bispo-missionário, ocupou o púlpito da Assembleia de Deus em Belém, Pará, tendo como intérprete o saudoso missionário Nels Julius Nelson, um servo de Deus de provecta idade, natural dos Estados Unidos, pertencente à Igreja Metodista.

Ao findar sua excelente mensagem, aquele pregador fez a seguinte declaração: “Se eu não viesse do principio do movimento metodista norte-americano, ao ver e ouvir vosso sistema a Deus, com vivas manifestações espirituais, eu estaria certamente escandalizado entre vós.

Mas, hoje com saudade da minha infância, quando estas expressões eram próprias do Movimento Metodista americano, eu vos exorto a vigiar cuidadosamente para não perderdes esta benção que nós perdemos e Deus levantou o Movimento Pentecostal para continuar o avivamento.

Se não tiverdes o devido cuidado perdereis esta benção do movimento espiritual, à nossa semelhança, e Deus levantará outro movimento para vos substituir.”

Nunca pude esquecer este aviso.

Mas, o que é que vemos atualmente em nosso movimento no Brasil?

Temos lindos templos, ótimos educandários teológicos, boas instituições de caráter assistencial, Convenções e, a meu ver, mais do que necessárias.

Temos tido bons congressos de jovens, simpósios sobre missões, seminários sobre assuntos diversos.

Um grande número de nossos pastores possui carro, barcos-motores, para facilitar-lhes o atendimento ao trabalho, residem em boas casas pastorais e recebem bons salários das igrejas às quais servem.

Tudo isto e muito mais existente ou que venha a existir é muito bom e nada disto se deve desprezar.

Mas, como anda a temperatura espiritual da igreja e de seu ministério?

Como anda a vida de oração?

Como anda a consagração pessoal?

Os dons espirituais estão em plena evidência na vida da Igreja e seu ministério?

Jesus está batizando com Espirito Santo, sempre e sempre nos cultos da igreja?

Ou estas coisas já passaram à história e estamos vivendo apenas à sombra duma tradição pentecostal?

Ai de nós se a resposta dessa última pergunta for afirmativa, for um fato em nossa experiência espiritual.

O Profeta Habacuque, vendo e sentindo a estagnação espiritual de seu povo, clamava em oração intercessória: “Aviva a tua obra, ó Senhor, no decorrer dos anos...”

Avivamento não deve ser algo esporádico na vida do ministério e da igreja: ao contrario, deve ser a esfera em meio à qual igreja e ministério vivam permanentemente, 24 horas por dia!

Igreja sem avivamento espiritual é semelhante a um automóvel velho cuja bateria cessou de gerar energia e, para movê-lo de um lado para outro, é preciso que o homem use a própria força para empurrá-lo, enquanto a igreja avivada é semelhante a um automóvel novo, com todos os sistemas, mecânicos, hidráulico e elétrico em pleno funcionamento e devidamente lubrificados.

Basta o motorista acionar a chave da ignição e a máquina está pronta para ser guiada à vontade do condutor.

Queridos companheiros de ministério cristão.

Nós somos direta e pessoalmente responsáveis diante de Deus e o mundo pelo estado espiritual da igreja que Deus colocou sob nossa direção, At 20.28.

Sigamos, portanto, o exemplo do salmista, constante do salmo 132.3-5, até que o avivamento volte a ser realidade permanente na vida da igreja que Deus nos confiou.

E para que isto aconteça, lembremo-nos de que o avivamento deve começar, prioritariamente, em nossas vidas de ministros de Deus, para que possamos guiar o seu rebanho aos mananciais de água viva, Jo 7.37; Ef 5.18”

Alcebíades P. Vasconcelos


Obs.: Acabei de mudar para minha nova residência e ao manusear os livros de minha biblioteca achei um pequeno recorte "amarelado, o tenho guardado há muito tempo" de jornal Mensageiro da Paz, contendo esta reflexão como carta aberta aos ministros assembleianos, lamento não ter a data em que foi veiculada tão importante advertência, que manifestava a preocupação deste homem de Deus conhecido pelos mais velhos obreiros de nossa querida Assembleia de Deus no Brasil!

Reflita e tire suas conclusões!

Estamos nós apercebidos de como será a colheita na presença do Mestre Jesus Cristo?

2 comentários:

  1. Como esses referenciais nos fazem falta!!!

    ResponderExcluir
  2. Caro pr Daniel Acioli,

    A paz amado!

    Esta matéria nos permite olhar para a balança da justiça e nos sentirmos o quão pobres de coragem somos.

    Palavras simples, diretas e objetivas que cobram a responsabilidade de cada um de nós.

    O Senhor seja contigo, nobre pastor,

    O menor.

    ResponderExcluir

VITÓRIA DE DAVI SOBRE A TRISTEZA

VITÓRIA DE DAVI SOBRE A TRISTEZA Texto: Salmos 34.19 INTRODUÇÃO:  Um homem que enfrentou muitas crises. I. UM JOVEM DE FÉ a. ...