domingo, 1 de novembro de 2009

Sim, Sim....Não, não?

Spartacus!!

O Que é ser leal?

Tive oportunidade de ver um filme dos antigos: Spartacus, dirigido por Stanley Kubrick.

Ocasião para confirmar que antigamente – tal como hoje – a corrupção se cola preferencialmente aos sagazes, articuladores e astutos que engodam com vãs promessas.

E que os pequenos são capazes de coisas maravilhosas ainda que lutando contra tudo e contra todos.

É apenas um filme, sem dúvida.

Mas aquela revolta dos escravos – que existiu historicamente e colocou efetivamente em causa o poderio romano – não teria sido o que foi se as coisas não se tivessem passado desse modo, mais coisa menos coisa, pelo menos nos aspectos essenciais.

Uma delas sucede depois de os escravos terem perdido a batalha final.

Os sobreviventes estão sentados em grupo no chão, rasgados e feridos.

O comandante da Legião romana anuncia-lhes que escaparão à
morte se o informarem de qual deles é Spartacus, no caso de ainda estar vivo.

E Spartacus está realmente vivo, sentado entre os amigos.

O momento é de grande tensão.

O realizador foca os olhos do chefe dos revoltosos e os olhos de vários dos companheiros.

Muita coisa está em jogo: a vida de todos eles.

Eram amigos.

Aqueles meses de contrariedades, lutas e perigos vividos em comum tinha-os unido de tal forma que era como se formassem uma só coisa.

Agora os romanos queriam apenas o chefe…

Acontece por vezes que as grandes decisões se têm de tomar em muito pouco tempo.

Spartacus ergue-se para revelar a sua identidade.

A sua morte libertará os amigos.

Mas quando vai dizer as palavras fatais, há um companheiro que se levanta mesmo ali ao lado e diz: «Eu sou Spartacus».

Não é, mas ele diz!

A Lealdade o força a usar deste expediente para não ver seu lider ser crucificado!

E logo outro homem se levanta, dizendo as mesmas palavras.

E outro.

E outro…

Depressa estão todos de pé diante do oficial.

A Coragem do homem é exemplo para todos e como um bom exemplo sempre será seguido, lembrado!

Todos eles são Spartacus… e acabarão por morrer crucificados, um após outro, numa fila de cruzes que encheu quilometros de estrada até entrar em Roma.

Existe algo de grandioso na atitude de Spartacus, que se entrega para salvar a vida dos amigos.

Mas não é menos bela a reação dos companheiros.

E há qualquer coisa em tudo isto que nos atrai irresistivelmente, porque o bem é atraente.

A lealdade consiste em não abandonarmos os nossos deveres e compromissos;

Em cumprir-mos o que tratamos no âmbito e sociedade que vivemos, sob pena de mais ou menos dias sermos expostos ao ridículo de passarmos á história como aquele que não tem personalidade ou atitude firme de renunciar ao interesse pessoal e apenas cumprir o que é certo, mesmo que seja para fazer justiça áquele que não compartilha com o nosso ponto de vista em alguns momentos!

Em não abandonarmos os nossos amigos e as pessoas que confiaram em nós.

Em não trair-mos os principios que pregamos nos púlpitos e altares de nossas Igrejas!

Em não sermos dissimulados, interesseiros corrompidos pela ganância e egoísticamente falseamos a verdade!

Em não perdermos o brio da honestidade e mesmo com dano próprio ajamos como o cidadão do Salmos 15!

É uma manifestação da grandeza da
liberdade humana: leva-nos até ao fim do caminho que escolhemos, apesar de todas as dificuldades e obstáculos.

Na cor aparentemente cinza de estarmos todos os dias fielmente no nosso lugar, existe, escondido, o ouro daquilo que é sólido, firme e verdadeiro.

Um homem leal é como uma rocha.

Um homem sincero passará á história e deixará um legado aos que o conheceram!

Um homem que não brinca ao liderar humildes e crédulos!

Transmite segurança e espalha luz à sua volta.

Ao longo da História dos homens, como na cena do filme, a lealdade conduziu muitas pessoas a grandes sofrimentos e, até, a uma morte cruel.

Mas, nos nossos dias, é uma virtude esquecida.

Virtude esta, que escassa; desânima em tese os que persistem em crer que poderá continuar a ser ético, respeitoso, fiel a principios do saber biblico e a estes se mantém fiel!

Abominando a mentira, falsidade, o famoso jeitinho e combatendo firmemente o uso da filosofia que o andar da carroça as melâncias se ajeitam.

Sim, Sim ou Não, Não.....

Realidade ou apenas balela?

Precisamo ser e ter temor de Deus para agir de acordo com as Escrituras Sagradas!

Qualquer par de moedas,

Qualquer novidade aparentemente vantajosa nos faz esquecer os deveres?

Nos levando a quebrar os nossos laços, enchendo a nossa vida de traições a que nos vamos habituando.

Um comentário:

  1. Prezamado pr. Daniel Acioli,

    A paz do Senhor!

    A sua postagem é desafiadora aos que temem ao Senhor, e observam que o exemplo de fidelidade deve ser seguido com base nas escrituras e o exemplo maravilhoso de nosso irmão chamado apóstolo Paulo.

    Sim, amado pastor Daniel Acioli, faz falta e está difícil, encontrar líderes que sejam exemplos verdadeiros de uma vida consagrada a Deus e sirvam de verdadeiro exemplo.

    O Senhor, está presente em todos os corações e identifica os valorosos, bem como, conhece a maldade de muitos corações e seus interesses, sua fidelidade ou infidelidade.

    Vivemos um tempo de visível no diferenciar o joio do trigo. Parece incrível, observarmos como o joio está tomando um destaque fabuloso e deseja assumir o lugar do trigo.

    Momento excelente para Vigiar e Orar! Exaltar a Deus em sua Plenitude porque a sua volta, está bem próxima, e o veremos em breve, em sua formosura. Aleluia!

    Maranata! Ora vem Senhor Jesus!

    pr. Newton Carpintero
    www.pastornewton.com

    Confirmado os dias 12 e 13 de Março de 2010, para o Primeiro Encontro dos Editores de Blogs em São Paulo.

    ResponderExcluir

RECOMPENSAS E LAMENTAÇÕES

RECOMPENSAS E LAMENTAÇÕES Texto: 1Corítios 3.1,23 Introdução: Um dos maiores problemas no mundo cristão é tratado na passagem que tem...