terça-feira, 23 de novembro de 2010

Um Novo Jargão nos Arraiais Eclesiásticos: Autoridade Máxima!

Um Novo Jargão nos Arraiais Eclesiásticos: Autoridade Máxima!

Nos últimos dias tenho ouvido e sabido desta nova afirmação...

Sou a Autoridade Maxima da Igreja aqui!

Outros: Ele é a autoridade maxima!

Que mudança de pensamento em relação á Igreja estamos tomando?

O dicionário Aurélio define "autoridade" como:


"1.Direito ou poder de se fazer obedecer, de dar ordens, de tomar decisões, de agir, etc.

2. Aquele que tem tal direito ou poder. [...]

5. Poder atribuído a alguém; domínio.

6. Influência, prestígio, crédito. [...]."

Define "autoritário" como:

"1.Relativo a autoridade.

2. Que se baseia na autoridade, despótico.

3. Que procura impor-se pela autoridade.

4. Altivo, impositivo, dominador, arrogante.

5.Impetuoso, violento, impulsivo."

Define "líder" como:

"1. Indivíduo que chefia, comanda e/ou orienta, em qualquer tipo de ação, empresa ou linha de idéias.

2.Guia, chefe ou condutor que representa um grupo, uma corrente de opinião, etc. [...]."


E por fim, define "liderança" como:

"1. Função de líder.

2.Capacidade de liderar, espírito de chefia.

3.Forma de dominação baseada no prestígio pessoal e aceita pelos dirigidos".

Não nos iludamos.

Numa Igreja ou ministério eclesiástico nada ocorre de baixo para cima.

Ou os dirigentes dão o exemplo ou nada ou pouco ocorrerá.


Não adianta falar.

Não adianta fazer discursos.

Não adianta colocar faixas.

Não adianta falar: Ele é a Autoridade Máxima da......

Não adianta dizer frases de efeito e exortações para a qualidade, a cortesia, para a prestação de serviços.

Se os dirigentes não tiverem um genuíno comportamento e atitudes "exemplares" tudo ficará no discurso, na intenção e pouco ocorrerá de concreto, de efetivo dentro da Igreja no dia-a-dia.

Essa é a verdade, nua e crua.

Se você chega numa Igreja e é friamente ou rispidamente atendido na recepção, pode ter certeza, o pastor trata as pessoas e obreiros, fria e rispidamente.

Se você é tratado com descortesia no estacionamento de uma Igreja, pode ter certeza de que o Pastor desta trata as pessoas com descortesia.

Se você adentrar uma Igreja ou Ministério tem dificuldades em ser atendido com uma reclamação ou pedido, pode ter certeza – a diretoria e o ministério daquela agremiação têm uma atitude negativa em relação as solicitações de seus membros!

E assim por diante.

Os membros de uma Igreja, Ministério repetem as atitudes e comportamentos de suas lideranças.

Acredite!

Assim é através do exemplo e das pequenas atitudes e comportamentos que emitimos no dia-a-dia que passamos a visão e os valores de nossa conduta com as mesmas.

Não adiantam os conchavos, acertos de bastidores e a não prestação de relatórios dignos de confiabilidade se não houver o exemplo da liderança, principalmente nas pequenas coisas.

“Você pode enganar uma pessoa por muito tempo; algumas por algum tempo; mas não consegue enganar todas por todo o tempo”.

Há muitos que gastam tempo e recursos em sites, jornais, revistas, fotografias (Argh! certos blogs e sites deveriam ser chamados de: Álbum de Fotos), banners, relatórios extensos e que não dizem nada!

São folhetos, faixas, pôsteres e até “companheiros de mesa” falando e disseminando o conceito e a importância daquela “autoridade máxima”!

Na prática, pouca eficácia tem essas falácias.

Por quê?

Porque a liderança daquela Igreja, Ministério, não está "de fato" comprometida com a verdadeira liderança bíblica!

E isso é demonstrado a cada momento, a cada comportamento, a cada decisão da diretoria.

Na hora de escolher Membros, Pastores, Ministros, Diretores das Entidades daquela agremiação eclesiástica, para o exercício e trabalho cristão, escolhe-se não pela qualidade, mas pelo acerto antes da eleição da “autoridade máxima”.

A seriedade e comprometimento com a obra de Deus ficam no "discurso".

Mas na prática, os comportamentos emitidos pela “autoridade máxima” vão em direção totalmente oposta ao compromisso com Deus!

Na prática os pastores e obreiros são considerados impertinentes quando solicitam alguma atenção especial.

Na prática são mal atendidos pela diretoria.

Na prática, os dirigentes são inacessíveis aos mesmos.

Na prática tudo o que puder ser "tirado" do crente é a regra do dia-a-dia.

Enquanto a “autoridade máxima,” dirigentes e "líderes" não tiverem consciência de que se não derem o exemplo de atendimento, qualidade, comprometimento, atenção aos detalhes, educação, cortesia, transparência, respeito, etc.,

Nada ocorrerá naquela Igreja, estaremos vivendo a mentira dos meios usados para enfeitar o discurso e nada de exemplo prático!

Continuaremos ouvindo repetidamente as mesmas evasivas, que nossa presença é muito importante para a agremiação e continuaremos a receber o tratamento frio, descortês, descomprometido e sem os resultados que esperamos, como meros expectadores!

Quanta diferença da liderança de Jesus Cristo!

Mateus 11. 28-30

5 comentários:

  1. Caro irmão e amigo
    Pr. Daniel Acyoli!

    Para não acrescentar nada, ser "curto e objetivo", seu artigo foi "na veia" amado! rsrs

    Parabéns pela exposição.
    Enquanto não entendermos a lição de Jesus: "Quem quiser ser o maior, comporte-se como o menor", o resultado é isso que o amado registrou em seu excelente texto.

    Aproveitando o ensejo, tenho sentido sua ausência lá no Point Rhema!

    Um grande abraço!

    Seu conservo em Cristo,
    Pr. Carlos Roberto

    ResponderExcluir
  2. Prezamigo pr. Daniel Acioli,

    A paz do Senhor!

    Concordo com o pastor Carlos Roberto: Foi na VEIA!

    Infelizmente, não respeitam os ensinos corretos ao aprendizado de uma boa liderança, conforme o informado pelos nossos irmãos no início da era cristã.

    Muitos desejam a liderança para serem servidos. Poucos servem por serem verdadeiros líderes.

    Obs.: Com todo o respeito, posso acrescentar que se conhece um pastor pelo estado do banheiro de uma igreja.

    É triste! Em muitos casos parecem piores que banheiro de botequim.

    O Senhor seja contigo, nobre pastor!

    O menor de todos os menores.

    ResponderExcluir
  3. Não li este termo mas o conceito é muito real (Não só nas igrejas)em foruns cristãos na internet.
    Não é mesmo pastor?

    ResponderExcluir
  4. Vossa Santidade!
    Caro Ministro Daniel.

    Resta saber SE junto com o BÔNUS de autoridade Máxima estão levando em consideração o ÔNUS,o que é bem difícil.

    Bem, pode seguir meu exemplo, o que estou fazendo?

    Bem, de uns tempos para cá resolvi ELEVAR todos ao nível de VOSSA SANTIDADE, está resolvido.

    Seja bispo, pastor, diácono, presbitéro, rev. padre, todos receberão o título de Vossa Santidade, creio que vá diminuir em 70% as lutas por poder nas denominações e entre elas.

    ResponderExcluir
  5. Querido Ray!

    Agradeço pelo comentário, porém dispenso a saudação inicial!

    No meu perfil escrevi o que sou realmente: Servo, e para mim é o mais alto titulo que posso ter!

    Servo de Deus!

    ResponderExcluir

VITÓRIA DE DAVI SOBRE A TRISTEZA

VITÓRIA DE DAVI SOBRE A TRISTEZA Texto: Salmos 34.19 INTRODUÇÃO:  Um homem que enfrentou muitas crises. I. UM JOVEM DE FÉ a. ...