sábado, 11 de fevereiro de 2012

Cristão Chuchu?

Cristão Chuchu?




O chuchu (escreve-se com “ch” duplo mesmo, para ficar mais esquisito – mas se fosse com dois “x” também ficaria esquisito) é uma planta cucurbitácea (que nome, né?).

Até aí, nada demais.

Fiquei sabendo disso porque procurei no dicionário.

Pensam que eu sei dessas coisas?

Tenho algo mais importante para fazer do que saber como se chama o chuchu.

O chuchu tem muita utilidade.

Por exemplo: o ex-ministro Simonsen, uma vez o culpou pela inflação brasileira (coitadinho do chuchu!).

Mas é mais útil para a dona de casa do que para os ministros.

Ele faz com que os pratos rendam, porque assimila o gosto daquilo com que foi misturado.

Assim, aumenta a quantidade da comida.

Um exemplo é quando se mistura o chuchu com o camarão.

Providência desnecessária cá no Amapá, onde o camarão é mais barato que no resto do Brasil, e o chuchu é mais caro que no resto do Brasil.

Mas cá pra nós: comer chuchu é falta de mordomia.

É mastigar água.

Aliás, alguém disse que o chuchu tem as vitaminas A, B e C: água, bagaço e casca.

Prefiro uma pupunhazinha quente…

Quem é do resto do Brasil e não conhece a pupunha não sabe o que está perdendo.

Há cristão como o chuchu.

Sem sabor próprio.

Toma o gosto do lugar onde está.

Se estiver na igreja, então é ardoroso.

Assimila o jeito dos irmãos.

Lá fora no mundo é incrédulo.

Assimila o sabor do ambiente.

Na igreja, canta e ora.

Balança o corpo, faz cara de dor quando canta, mostra espiritualidade.

Na escola, no trabalho e no lar, formatado pelo ambiente, seu comportamento muda.

O cristão chuchu é um problema sério para o reino de Deus.

Sua ausência de autoridade espiritual desacredita o evangelho.

Ninguém o leva a sério.

Nem ele mesmo.

Acaba sendo uma pessoa frustrada.

Sabe que não é autêntico.

Usa um disfarce.

Por não ter personalidade, vive espiritualmente derrotado.

O cristão chuchu precisa se quebrantar aos pés de Cristo.

Precisa levar-lhe sua fraqueza espiritual e instabilidade emocional.

Deve confessar-lhe seus pecados, pedir perdão e clamar por vigor espiritual.

Só assim perderá sua sensaboria espiritual e receberá o sal que o seguidor de Jesus deve ter.

O Salvador quem disse que somos o sal da terra, e não o chuchu da terra.

Devemos ser marcantes e não insossos.

Você é um cristão chuchu?

O Senhor tem interesse em você.

Pode firmá-lo na fé.

Chegue-se a Deus com confiança.

Lembre-se de Isaías 26.3: “Tu, Senhor, conservarás em paz aquele cuja mente está firme em ti, porque ele confia em ti”.

Ele pode ajudá-lo a se firmar na fé e manifestar uma presença marcante aonde andar.

Com um amplexo de quem não come chuchu nem com camarão.

Pr. Isaltino Gomes Coelho Filho

Nenhum comentário:

Postar um comentário

AS MARCAS DO DISCIPULADO

AS MARCAS DO DISCIPULADO        Textos: Mateus 16.24 INTRODUÇÃO:  Paulo trazia no corpo as marcas de Cristo Jesus (Gl. 6.17).    ...