sábado, 2 de julho de 2011

Carta aberta ao Dr. Drauzio Varella

Carta aberta ao Dr. Drauzio Varella

Prezado doutor Drauzio Varella, respeito muitíssimo o senhor como médico. Suas instruções, em programas de TV e na Internet, são excelentes e ajudam as pessoas a terem uma vida mais sadia.

Acabei de ler o seu artigo “Violência contra homossexuais”, em seu site. Gostei de boa parte das suas argumentações e considerei que, de forma geral, a sua abordagem como médico sobre esse assunto cercado de tanta polêmica foi bastante equilibrada.

O senhor está correto ao considerar abusiva a conduta de pastores que querem forçar os homossexuais a serem heterossexuais. E devo lhe dizer, inclusive, que os pastores que se prezam jamais interferem desse modo na vida das pessoas. Eles tão-somente pregam em tese, e não de modo direcionado, ofensivo e ridicularizante, a respeito do que é certo ou errado à luz da Bíblia.

Entretanto, com todo o respeito, gostaria de contestar uma parte do seu artigo. Ei-la: “A sexualidade não admite opções, simplesmente é. Podemos controlar nosso comportamento; o desejo, jamais. O desejo brota da alma humana, indomável como a água que despenca da cachoeira”.

De fato, a sexualidade não admite opções. O ser humano não escolhe se será homem ou mulher. Ele nasce menino ou menina. Quanto à homossexualidade, penso que não deve ser equiparada à masculinidade ou à feminilidade. Digo isso, não por preconceito, e sim por causa da própria fisiologia. Afinal, a mulher grávida, quando vai fazer a ultrassonografia, ela quer saber se o seu filho é macho ou fêmea, não é mesmo?

Pelo que tenho pesquisado, há vários fatores que podem contribuir para a manifestação do comportamento homossexual, ao longo da vida. Mas nenhum cientista conseguiu comprovar que a homossexualidade está ligada à genética. Não existe gene gay.

Reconheço, por outro lado, que existe a possibilidade de alteração de gene, decorrente de maus tratos na infância, por exemplo, conforme tem noticiado a revista Nature Neurosciense. E entendo que isso pode fazer com que o infante ou o adolescente venham a adotar um comportamento que não corresponda à sua fisiologia. Mas isso não significa que alguém já nasça homossexual.

O senhor também disse, de modo poético, que podemos controlar o nosso comportamento, mas não o nosso desejo: “O desejo brota da alma humana, indomável como a água que despenca da cachoeira”. Com toda a sinceridade, considero muito perigoso esse raciocínio e explico por quê.

Muitos psicopatas têm o desejo de matar, não é mesmo? E o estuprador? Também tem o desejo de violentar mulheres. Da mesma forma, os pedófilos e efebófilos têm desejo de abusar de crianças e adolescentes. E assim por diante.

Por conseguinte, se considerarmos — com base na tese de que o desejo é indomável como a água que despenca da cachoeira — que o ser humano, por causa disso, tem liberdade para agir conforme o seu desejo, por que temos ojeriza dos psicopatas, estupradores, pedófilos e efebófilos, e queremos que eles sejam condenados por seus atos?! Afinal, o desejo é indomável como a água que despenca da cachoeira. Como controlá-lo?

Vou exagerar um pouco agora. Digamos que pedófilos e efebófilos, aproveitando-se do precedente aberto pelo STF, ao liberar a passeata pela legalização das drogas, se reúnam em uma grande passeata na Avenida Paulista, em São Paulo, com cartazes, serviço de som, e comecem a gritar: “Estamos cansados de ser discriminados neste país! Pedimos cadeia aos fundamentalistas religiosos que pregam o preconceito pedofilófobo e efebofilófogo. Nós não escolhemos ser pedófilos e efebófilos, pois o nosso desejo é indomável como a água que despenca da cachoeira”. Estarão eles certos em sua reivindicação?

Caro doutor, parece um grande exagero o que estou falando, mas não estou comparando “isto” com “aquilo”. Apenas quero lhe dizer que, para mim, é evidente que a sua tese é frágil e facilmente refutável. Reconheço que o senhor recebeu do Criador uma inteligência acima da média e não quero, de modo algum, ofendê-lo. Por isso, com todo o respeito — reitero —, peço-lhe que reveja a sua posição, a fim de que não incorra em simplismo e preconceito contra os evangélicos e católicos.

Cordialmente,

Ciro Sanches Zibordi

http://cirozibordi.blogspot.com/2011/06/carta-aberta-ao-doutor-drauzio-varella.html

12 comentários:

  1. Concerteza a idéia do médico Drauzio Varella é de fácil refutação, pois é de fato uma idéia equivocada!
    No meu entender, o médico Drauzio Varella equivocou-se em sua idéia original, ao tentar poetisar o assunto, acabou escrevendo bestera, digo médico Drauzio Varella pois doutor é quem possui doutourado, coisa que o mesmo não possui.
    Esse erro cometido por Drauzio Varella, é cometido por muitos que tentam falar sobre o homossexualismo, eles tentam poetisar e acabam cometendo exageros. O desejo humano de fato não é controlado, porém as ações humanas podem e devem ser controladas, só vivemos em sociedade por esse motivo, por termos o controle de nossas ações!
    Exemplo que refuta a teoria aloprada de Drauzio Varella.
    Bati meu carro em um motociclista meu desejo era desçer do carro e mata-ló.
    Se eu fizesse o meu desejo poderia eu alegar em tribunal que "O desejo brota da alma humana, indomável como a água que despenca da cachoeira"
    Menos poesia Sr.Drauzio Varella mais verdade!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Médicos e advogados são doutores, independente de doutorado. Informe-se.

      Excluir
    2. Vc é que deve se informar.. Eles não possuem o Titulo Academico. Eles podem utilizar "Dr., digamos como pronome de tratamento" eles podem se apresentar como doutores (falarem para quem eles quiserem que são doutores). Mas ninguém é obrigado a trata-los como se tivessem titulo de doutor. Posso muito bem falar "medico qual o meu problema", posso mandar uma carta "medico Pedro" e eles não tem amparo legal para para fazer qualquer um lhes adicionar um Dr.

      Excluir
  2. Não me surpreendo nem um pouco ao ver um pastor escrevendo isso. É isso que vocês fazem, alimentam o preconceito, o ódio gratuito, a ignorância. Parece difícil entender o que Dráuzio Varella diz? Não, não é. Ele não fala de masculinidade, pastor!
    Não fala de feminilidade, pastor. Fala de ORIENTAÇÃO SEXUAL, coisa que o senhor e seus compatriotas deviam estar melhor informados. Mas para que fazer isso, vocês são heterossexuais, não é mesmo? Para que se importar com aquilo que não nos envolve, é mais fácil atacar e contradizer o que não entendemos. Poupe a internet e mundo de sua ignorância. Não venha dizer que não tem preconceito, pois é o que mais existe em suas palavras. Você acha que homossexualidade é opção? Então, o que dizer das mais de 500 espécies de animais onde a ciência comprova que existem indivíduos homossexuais? De certo, um babuíno africano homossexual vai para o inferno também. Mas como? Como se ele não pensa do mesmo modo que nós, não sabe o que é a bíblia e o que vocês dizem ser a palavra de Deus.
    Acho que o mundo não precisa de palavras como a sua. Todos já sabem que a homossexualidade é algo natural. Ou você, pastor, acha que alguém escolheria ser gay no Irã e correr o risco de ser enforcado? Acha que pessoas escolheria sofrer preconceito e homofobia?
    Pense! Pense antes de escrever.
    Jesus falava de amor e é isso que mais falta nos argumentos de vocês, evangélicos que acham são donos da palavra de Deus.
    Vocês e seu preconceito estão muito longe de Jesus.
    Voce e suas palavras estão muito longe da sensatez de alguém como Dráuzio Varella.
    I'm sorry, pastor. Vá ler. Vá se esclarecer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É vc que deve se esclarecer, o que os pastores fazem é simplesmente defender a bíblia, se vc lesse ela saberia disso. Ou vc é daqueles que acha que a biblia não presta pra nada? Talvez vc não saiba é o livro mais do mundo cerca de 6 bilhões de exemplares, talvez vc ache que essas 6 bilhões de pessoas estão erradas e só vc esteja certo, vai saber tem doido pra tudo.

      Excluir
  3. http://www.youtube.com/watch?v=3wx3fdnOEos&noredirect=1

    ResponderExcluir
  4. O maior equívoco desse artigo, senhor pastor , é comparar um homossexual a pedófilos e efebófilos e assassinos. A homossexualidade é exercida entre dois adultos, que se consentem em fazer sexo entre si, sem prejudicar ninguém. Um assassino tira a vida de uma outra pessoa, sem consentimento da outra parte. Assim como os pedófilos, abusam de crianças que não podem se defender. Por favor, não vamos misturar alhos com bugalhos. E mais, Jesus Cristo no tempo que andou pela terra tinha entre seus amigos cobradores de impostos, doentes, pobres e prostitutas. Se o senhor vivesse nessa época certamente estaria escrevendo artigos contra cobradores de impostos, doentes, pobres e prostitutas. E quem sabe não estaria escrevendo artigos contra o próprio cristo.

    ResponderExcluir
  5. És uma mente muito, mas muito pequena. A conjunção carnal de homossexuais é um ato consensual entre dois adultos capazes e não diz respeito a mais ninguém. Comparar isso a pedofilia é no mínimo risível.

    A essência dos ensinamentos da bíblia não é essa que o Sr, prega, mas sim a tolerância, a aceitação e o amor ao próximo. Não vejo isso em nenhuma das neopentecostais... Onde será mesmo que o "capeta", caso exista, se enconde?

    ResponderExcluir
  6. Bem, vamos lá. Só pegando alguns pontos aqui do seu texto, pastor:

    "De fato, a sexualidade não admite opções. O ser humano não escolhe se será homem ou mulher. Ele nasce menino ou menina."

    Até aí tudo bem... Só esqueceu de acrescentar que algumas pessoas não nascem ´menino´ e nem ´menina´. São os transgênero. Eles também não têm a opção de nascer com a anatomia 100% feminina ou masculina, mas que bom que o senhor teve a opção de simplesmente ignorá-las no seu texto, não é?

    "Muitos psicopatas têm o desejo de matar, não é mesmo? E o estuprador? Também tem o desejo de violentar mulheres. Da mesma forma, os pedófilos e efebófilos têm desejo de abusar de crianças e adolescentes. E assim por diante."

    Equiparando homossexualidade com atos criminosos. Aparentemente é preciso que alguém explique porque esse ponto de vista é tão absurdo, eu vou tentar: Obviamente a humanidade se organizou em sociedade para que pudéssemos ter orgãos que regulamentam e controlam, quando preciso (diante de um crime por exemplo), as ações dos membros da sociedade. Qualquer ato sexual só deve ser repreendido se for não-consensual por alguma das partes, o que configurará de fato um crime. Se sentir atraído pelo mesmo sexo não machuca e nem invade os direitos de ninguém. É simples assim.

    "Vou exagerar um pouco agora."
    Que bom que você vai exagerar para ilustrar o seu ponto de vista que já era desde antes absurdo. Para quem não sabe, isso se chama Hipérbole, e é uma maneira barata de se tentar fortalecer um argumento. Por favor pastor, poupe-nos.


    Abram suas mentes, meus amigos. Sexo é natural!

    ResponderExcluir
  7. Ótimo texto pastor Daniel. Você com todo o respeito e maturidade escreve, infelizmente uma pessoa posta que os pastores alimentam preconceitos e ódio e em todo o seu argumento essa própria pessoa faz ataques. Quem está alimentado de ódio e preconceitos? A boca fala o que o coração está cheio. Parabéns! Adorei sua argumentação. Que Deus continue o enchendo de sabedoria. A nossa recompensa não está mundo.

    ResponderExcluir
  8. Sempre me impressiono com a capacidade humana de distorcer as palavras alheias, não sei se por analfabetismo funcional ou má-fé intelectual - o Dr. Drauzio Varella diz textualmente, e é reproduzido no texto: "A sexualidade não admite opções, simplesmente é. Podemos controlar nosso comportamento; o desejo, jamais. O desejo brota da alma humana, indomável como a água que despenca da cachoeira.". Imagine como não distorcem os textos bíblicos para satisfazer seus interesses...

    ResponderExcluir
  9. Nossa que pastor mais imbecil. Presta atenção nas suas comparações, pastor idiota. O que a humanidade deve considerar ERRADO, são as práticas causadoras de MAU ao próximo.
    O que tem necessidade de ser EVITADO, são as ações causadoras de mau ao próximo, contra a vontade da vítima que vier a sofrer com esse mau.
    Então suas comparações foram totalmente RIDÍCULAS e equivocadas, e vou explicar o motivo.
    O motivo é que, os homossexuais na sua maioria, são pessoas de bem, honestos, e não cometedores de crimes. E as práticas deles, envolvem pessoas que CONCORDAM com todos os atos, sejam sexuais ou afetuosos, etc. Ou seja, essa maioria de homossexuais, fazem sexo COM CONSENTIMENTO, sem causar sofrimento a ninguem, sem agir contra vontade de ninguem, e proporcionando apenas prazer e felicidade, obrando somente o BEM, e não o mau.
    Já os assassinos, estrupadores, pedófilos, etc costumam envolver nas suas praticas, pessoas que nao concordam com os atos. Pessoas que nao querem morrer, e nao querem ser estrupadas. Pessoas que sao forçadas ao sexo, que é SEM CONSENTIMENTO delas. Essas práticas trazem sofrimento as pessoas que NAO QUEREM ter a relaçao sexual com o estrupador ou pedofilo. Estes estão agindo CONTRA A VONTADE das vitimas. E as vítimas não terão prazer e felicidade, mas somente dor, sofrimento e contrariedade. Neste caso, esses criminosos estao obrando o MAU e nao o bem, e estão trazendo sofrimento ao proximo, e nao alegria.
    Então vê se enxerga essa diferença pastor idiota. Voce nao pode fazer essa comparaçao ridicula. Como pode ser tao imbecil?
    Uma coisa é os homossexuais vivendo felizes trazendo o bem e a felicidade uns para os outros, e OUTRA COISA, é os criminosos estrupadores assassinos obrarem o mau, trazendo sofrimento e tristeza para o próximo.
    Então pensa 2 vezes antes de fazer comparaçoes de merda; nossa quanta ignorancia.

    ResponderExcluir

VITÓRIA DE DAVI SOBRE A TRISTEZA

VITÓRIA DE DAVI SOBRE A TRISTEZA Texto: Salmos 34.19 INTRODUÇÃO:  Um homem que enfrentou muitas crises. I. UM JOVEM DE FÉ a. ...